Como economizar dinheiro e controlar gastos

A reportagem de capa é: “Como economizei R$ 55.986 no semestre sem abrir mão de nada que gosto”. Só que não, não estou falando de mim, este valor é quase o que gasto no ano inteiro, esta foi na verdade uma reportagem que li no ano passado no portal de notícias financeiras Infomoney. O editor revelou como reduziu drasticamente seus gastos, apenas aplicando técnicas financeiras simples que você também poderia usar ao tomar decisões cotidianas de consumo. 

Eu e minha esposa, iniciamos o registro dos nossos gastos assim que casamos. Percebemos que seria muito importante um acompanhamento das nossas despesas para alcançar o controle das nossas finanças pessoais. Desde então, esta atividade tornou-se um hábito diário. Não há como ter uma gestão adequada de finanças pessoais sem ter um controle preciso dos gastos.

Segundo o físico irlandês William Thomson Kelvin: “Aquilo que não se pode medir não se pode melhorar”.

Imagino que somos um casal atípico pois a maior parte dos casais que conheço não adotam este hábito. O que contribui muito para isto funcionar aqui em casa é o fato de termos as finanças em comum, tudo que recebemos cai em uma conta única e tudo que gastamos sai desta mesma conta. Não há separação de receitas e despesas e isto elimina uma série de conflitos presentes na vida de outros casais.

Somos pessoas de hábitos simples, temos um estilo de vida frugal e nossas despesas estão muito bem controladas já que gastamos em torno de 60% do que recebemos. No passado já fui um gastador nato, queimava todo o salário e não sobrava nada, mas hoje estou muito mais consciente e contente com a vida que levo. Aprendi que a real felicidade não está no consumo e sim em outros aspectos da vida.

Como Economizar Dinheiro

Para o editor da reportagem (link aqui), muitos subestimam o poder do planejamento financeiro e foi isto que o fez compartilhar as 8 decisões financeiras que o fizeram economizar quase R$ 56.000 no primeiro semestre de 2016. O que ele fez foi simples: utilizou técnicas financeiras para reduzir drasticamente suas despesas sem abrir mão do que gosta.

O editor do portal diz tentar entender o motivo pelo qual a cada dez perguntas que os portal recebe, nove são sobre investimentos e apenas uma é sobre planejamento financeiro. Um dos problemas que identificou foi que a maioria dos brasileiros tem um entendimento errado do planejamento financeiro. O senso comum é que planejamento financeiro é passar horas preenchendo planilhas para escolher que gastos terão de ser cortados, fazendo você abrir mão de coisas que gosta. Para ele, planejamento financeiro está mais ligado a inteligência financeira:

É aprender a avaliar os prós e contras de cada decisão de consumo e escolher a opção que vai lhe permitir pagar o mínimo possível por determinado produto ou serviço.

Não é fácil fazer isso, mas a recompensa é enorme. Pessoas com inteligência financeira economizam sem ter de abrir mão do que gostam – só terão de aprender a fugir de algumas armadilhas do marketing, identificar o melhor custo/benefício em cada momento e abandonar hábitos que lhes tiram do caminho do enriquecimento.

8 Técnicas para Economizar Dinheiro

Então quais foram as 8 decisões que o editor João Sandrini tomou para economizar um valor tão significativo? Na reportagem linkada você poderá entender em detalhes a estratégia de economizar dinheiro empregada por ele, irei apenas elencá-las aqui para ilustrar o artigo de gastos de um casal.

#1 – Deixe de Pagar Tarifas Desnecessárias

Um bom exemplo que o editor apresentou foi a utilização de contas digitais nos bancos. Se você não conhece temos hoje no mercado algumas opções. Eu por exemplo tenho conta digital no Itaú e no Bradesco. Temos contas no Banco do Brasil também mas não pagamos tarifas. Além dos grandes bancos, há hoje outras opções como o Banco Intermedium e o Banco Original, portando, só paga tarifa e TED hoje em dia quem quer.

A economia que o editor teve com a utilização de conta digital foi de R$ 144,60 que corresponde ao que ele gastaria em um pacote de serviços nível 3 na ordem de R$ 24,10 por mês. Parece pouco mas multiplique isto pelo número de anos que você ainda tem de vida. Como diz o ditado: de sardinha em sardinha o tubarão vai enchendo a barriga.

#2 – Utilize seus Pontos de Fidelidade para Viajar

O editor mostrou que economizou R$ 750 na compra de passagens aéreas ao utilizar pontos de cartões de crédito. Para ele, nem todo mundo aproveita as oportunidades, por exemplo, concentrando todos os gastos num só cartão que paga muitas milhas ou reunindo pontos de diversos programas de fidelidade numa única conta para acelerar as conversões.

Faço um alerta: se você ainda não tem controle sobre seus gastos então não utilize cartões de crédito. Contudo, se não tem dívidas, possui uma reserva de emergência garantida, e tem controle sobre seus gastos então é fundamental a utilização de cartões de crédito. E dependendo do valor mensal dos seus gastos será interessante participar de programas de pontos.

#3 – Compre Passagens Aéreas com Antecedência e Utilize Sites de Monitoramento de Preços

Todo mundo sabe que comprar passagem aérea em cima da hora é sinônimo de pagar preço alto. Portanto, basta planejar suas viagens. O editor dá a dica de criar alertas de preço em sites como o Skyscanner para que passe a receber por e-mail os melhores preços para os trechos desejados. A conclusão do editor é que foram economizados R$ 2.421 com a utilização desta técnica.

#4 – Utilize o Airbnb

Se você não conhece ainda o site Airbnb a história é a seguinte: “BnB” é uma abreviatura consagrada de “bed and breakfast”. O “air” se deve ao fato de que a empresa começou quando os fundadores alugavam colchões infláveis na casa em que moravam para visitantes de uma feira de design depois que todos os hotéis lotaram.

No início, o Airbnb era um site em que pessoas alugavam apenas quartos na sua casa. A ideia pegou e o site começou a ser usado para alugar apartamentos inteiros. E hoje é a “imobiliária”online que mais cresce no mundo. O que torna o Airbnb diferente das agências convencionais é o fato de funcionar como uma rede social.

O editor conta um caso interessante de utilização do Airbnb. Na véspera do seu casamento teve um problema que quase colocou a cerimônia em risco: apenas três dias antes do casamento, ficou sabendo que não poderia usar o salão planejado para receber os convidados que inicialmente seria usado sem custo nenhum.

Até que teve a ideia de alugar um imóvel por um dia no Aribnb. O casamento foi então realizado em um casarão maravilhoso em Higienópolis ao custo de uma diária de R$ 1.600. Ou seja, uma economia de R$ 3.400 em relação à melhor opção de alugar um salão com custo de R$ 5.000.

#5 – Faça Previdência PGBL para Pagar Menos Imposto de Renda

Quem é assalariado e costuma fazer a declaração completa do imposto de renda pode aproveitar para aumentar a dedução aplicando em um fundo de previdência Plano Gerador de Benefício Definido (PGBL). As aplicações feitas no ano podem ser deduzidas até o limite de 12% da renda tributável.

Isso significa que se a sua renda bruta tributável (salário e/ou aluguel, por exemplo) for de 100 mil reais, você pode deduzir da base de cálculo do imposto de renda  até 12 mil reais que foram aplicados em um plano PGBL. Ou seja, a base de cálculo do imposto passa a ser de 88 mil reais.

O editor usou esta prática e economizou R$ 4.125 que corresponde à alíquota de 27,5% de imposto de renda sobre um valor de R$ 15.000 aportado em uma previdência PGBL. Lembrando que esta regra só vale para quem faz a declaração de imposto de renda no modelo “completa”.

#6 – Venda sua Casa Própria e Alugue um Imóvel

O editor conta que vendeu sua casa em 2014 e optou por alugar um apartamento no bairro Pinheiros em São Paulo. Pelos cálculos dele, o valor recebido ao investir o dinheiro do imóvel foi de R$ 54.795 contra R$ 18.300 gastos com aluguel. Portanto, uma economia de R$ 34.212 se considerando uma valorização de R$ 2.283 do imóvel.

O editor procura desmistificar a teoria de que pagar aluguel é jogar dinheiro fora. Para ele, falta a percepção de que quem toma crédito para comprar um imóvel também está pagando uma espécie de “aluguel” do dinheiro: os juros. Em outras palavras você deixa de pagar o aluguel ao proprietário e passa a pagar pelo aluguel ao banco. E pior: o aluguel cobrado pelo banco é bem mais alto.

#7 – Um Carro Apenas para o Casal

O editor conta que vendeu o carro (veja quanto custa ter um carro) em 2012 e desde então se locomove em São Paulo por meio de bicicleta, Uber, dentre outros. De quebra melhorou o condicionamento físico e reduziu os gastos. Segundo ele, um carro de R$ 50.000 gera um custo de R$ 2.217 por mês.

Esse valor corresponde a gastos com combustível (R$ 300), multas (R$ 20), manutenção (R$ 150), pedágio (R$ 30), estacionamento no trabalho (R$ 200), aluguel de uma segunda vaga de garagem (R$ 200), seguro (R$ 125), IPVA + DPVAT + licenciamento (R$ 181,67), custo de oportunidade por não investir o dinheiro pago pelo carro (R$ 554) e depreciação do automóvel (R$ 416,67).

A economia calculada foi então de  R$ 8.733 no semestre se considerado os gastos com transporte na ordem de R$ 4.569. Vou dizer que o ideal mesmo é não ter nenhum carro, se você não tem filhos não vejo motivo para ter um automóvel na garagem.

#8 – Faça Academia ao Ar Livre

A última dica do editor foi zerar o gasto com academia: “Quando quero correr, vou aos parques Villa-Lobos, do Povo ou Ibirapuera, todos num raio de 5 km de casa. Se está chovendo, uso a esteira do prédio. E se quero nadar, uso a piscina do prédio onde moro se está calor ou a piscina do Sesc Pinheiros se está frio.”

Além disto, a utilização quase que diária de bicicleta para locomoção permitiu ao editor não mais precisar de academia para se manter em forma. A economia em mensalidades de academia é da ordem de R$ 1.200 no semestre.

Deixe um comentário