IGP-M Abril 2024

Segundo dados divulgados pela FGV, o IGP-M de abril de 2024 apresentou inflação de 0.31% no mês, após ter registrado uma deflação de -0.47% em março. Esse resultado faz com que o índice acumule uma queda de -0.60% no ano e de -3.04% nos últimos 12 meses. No mesmo período em 2023, o IGP-M havia registrado uma variação negativa de -0.95% no mês de abril e uma queda acumulada de -2.17% nos 12 meses anteriores.

No último levantamento do índice ao produtor, diversos produtos essenciais tiveram variações significativas nos preços. O cacau apresentou um aumento significativo, passando de 19,92% para 63,63%, enquanto o café registrou um incremento de 0,62% para 9,57%. A soja também teve um aumento, mudando de -0,47% para 5,66%. Por outro lado, o minério de ferro sofreu uma redução menos severa, passando de -13,27% para -4,78%, contribuindo para a aceleração da taxa do IPA.

No índice ao consumidor, alimentos in natura continuam a ser um dos principais impulsionadores. O tomate teve uma variação de -0,36% para 16,19%, e o mamão apresentou um aumento de 3,17% para 25,55%. Na construção civil, o destaque foi para o grupo mão de obra, com a taxa de variação subindo de 0,23% para 0,74%.

IGP-M acumulado

Na tabela abaixo, você poderá acompanhar a variação do IGP-M ao longo dos últimos meses e anos.

Mês/Ano Mês (%) Acumulado no Ano (%) Acumulado nos Últimos 12 Meses (%)
Abr/2024 0,31 -0,6111 -3,0409
Mar/2024 -0,47 -0,9182 -4,2588
Fev/2024 -0,52 -0,4504 -3,7586
Jan/2024 0,07 0,0700 -3,3136
Dez/2023 0,74 -3,1783 -3,1783
Nov/2023 0,59 -3,8895 -3,4570
Out/2023 0,50 -4,4532 -4,5607
Set/2023 0,37 -4,9286 -5,9567
Ago/2023 -0,14 -5,2791 -7,1935
Jul/2023 -0,72 -5,1463 -7,7140
Jun/2023 -1,93 -4,4584 -6,8495
Mai/2023 -1,84 -2,5781 -4,4559

Evolução do IGP-M 

IPA

Em abril, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) subiu 0,29%, revertendo a queda de 0,77% observada em março. No segmento de Bens Finais, houve uma diminuição de 0,13% em abril puxada principalmente pela redução no subgrupo de alimentos in natura, de -2,37%.

O grupo de Bens Intermediários registrou alta de 0,72% em abril, principalmente devido ao subgrupo de materiais e componentes para manufatura, que subiu para 0,85%. O índice de Bens Intermediários (ex) também aumentou, variando de 0,16% em março para 0,63% em abril.

O segmento de Matérias-Primas Brutas registrou alta de 0,24% em abril. A alta foi impulsionada por itens-chave como soja, que subiu para 5,66%, e café em grão, que aumentou para 9,57%. Por outro lado, laranja, algodão em caroço e cana-de-açúcar mostraram quedas significativas, contribuindo para uma variação menor no índice geral.

IPC

Em abril, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) teve uma variação de 0,32%. Cinco das oito classes de despesa do índice mostraram aceleração nas suas taxas de variação. O grupo Educação, Leitura e Recreação teve o maior impacto, com sua taxa aumentando para -1,37%. Dentro dessa categoria, a passagem aérea subiu para -8,94%.

Os grupos Alimentação (0,83%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,63%), Habitação (0,54%) e Comunicação (0,16%) também apresentaram aumento em suas taxas. Destaque para os itens hortaliças e legumes (6,04%), medicamentos em geral (2,48%), tarifa de eletricidade residencial (0,92%) e tarifa de telefone móvel (1,27%).

Em contraste, os grupos Transportes (0,24%), Despesas Diversas (0,18%) e Vestuário (0,05%) apresentaram diminuição nas taxas de variação. Destaque para os itens gasolina (0,30%), serviços bancários (0,20%) e serviços de confecção (-2,37%).

INCC

Em abril, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) aumentou 0,41%. Analisando os três grupos que compõem o INCC, houve variações distintas de março para abril: Materiais e Equipamentos recuaram para 0,17%; Serviços subiram para 0,29%; e Mão de Obra avançou para 0,74%.

Deixe um comentário