investidores na bolsa

Como Investir em Renda Variável?

No mês passado, a B3 registrou mais de 1,3 milhão de cadastros de investidores pessoas físicas em ações, o que representa um crescimento de mais de 550 mil contas desde o começo do ano. Segundo a B3, o crescimento está surpreendendo, com uma média de quase 100 mil contas novas por mês. Esse movimento de maior interesse dos investidores acompanha a queda dos juros e a melhora das perspectivas para a economia. 

O aumento advém não só de mais pessoas que investem em ações, mas, principalmente, da saída de estrangeiros. O estrangeiro tem saído desde a segunda metade de 2018, que foi o primeiro ano que tivemos mais saída de fluxo do exterior do que entrada, devido a uma grande incerteza com as eleições.

O investidor brasileiro tem procurado agora investimentos com maior possibilidade de rentabilidade e por isto está tomando risco. Na medida que a taxa básica de juros da economia (SELIC) tem caído a níveis históricos cada vez mais baixos, as opções de investimentos em renda fixa como títulos públicos e CDBs ficam cada vez menos atrativas.

A Explosão dos FIIs

Se as ações são o tipo de investimento de renda variável mais conhecido pelas pessoas, os FIIs (fundos de investimento imobiliário) é que estão roubando a cena nesta retomada da bolsa brasileira. A categoria de investimentos que mais cresce no Brasil segue apresentando números excelentes. Confira no gráfico abaixo a evolução dos investidores de FIIs até o mês de julho de 2019:

investidores fiis

Evolução dos investidores de FIIs – Fonte: Boletim B3

Além do maior apetite ao risco do investidor, o atual momento do ciclo imobiliário também é outro fator que está atraindo investidores para os FIIs, isso porque já é possível constatar um reaquecimento do setor imobiliário, num contexto mais amplo. Confira no gráfico abaixo a evolução dos índices IFIX, IMOB e IBOVESPA…

rentabilidade renda variavel

Comprativo de rentabilidade dos índices – Fonte: Boletim B3

Como os Investidores Estão Investindo?

Na semana passada, realizei uma enquete na minha conta de Twitter como o seguinte questionamento: “Como você investe em renda variável?”. O resultado você confere abaixo:

como investir em renda variavel

Enquete “Como você investe em renda variável?”

Como você pode ver no resultado da enquete, a grande maioria das pessoas negocia (compra/vende) os ativos diretamente no mercado. Em segundo lugar aparece o grupo de pessoas que investe através das duas formas possíveis: por meio de fundos de investimento e negociando os ativos diretamente. Apenas 5% das pessoas investem apenas através de fundos ou ainda não investem em renda variável.

Investir Através de Fundos ou Negociar os Ativos Diretamente?

Na enquete, vimos que a maioria das pessoas escolher investir na renda variável negociando diretamente os ativos. Mas esta é a melhor opção para o investidor? No investimento através de um fundo, o investidor escolhe um produto específico (ou mais de um) para aplicar seu dinheiro. Assim, em vez de comprar ações, compra-se cotas do fundo e tem seu rendimento atrelado à valorização/desvalorização dessas cotas. Dessa forma, delega-se o dinheiro a um gestor profissional.… Leia Mais

bolsa de valores

Maiores Altas e Quedas da Bolsa de Valores nos Últimos 12 Meses

Neste exato momento (11:23), o IBOV –  principal índice da bolsa brasileira – opera na máxima do dia aos 107.950 pontos quebrando assim mais um recorde histórico. No pregão anterior, o índice já tinha quebrado mais um recorde ao fechar o pregão com 107.381 pontos na expectativa da aprovação da reforma da previdência no Senado. Não só a aprovação da reforma impulsiona a bolsa de valores nos últimos dias. No cenário externo, a guerra comercial entre EUA e China perdeu boa parte de sua intensidade, com as partes mostrando-se mais propensas ao diálogo.

A aprovação da Reforma da Previdência foi aguardada com atenção pelos agentes de mercado por dois motivos: por um lado, há o fechamento desse capítulo e a formalização do montante a ser economizado com as novas regras; por outro, abre-se caminho para que outras pautas prioritárias — como as reformas administrativa e tributária — sejam discutidas no Congresso. Contudo, pode-se dizer que a aprovação final pelo mercado já estava precificada e o mercado agora mira nas próximas reformas.

Nos últimos 12 meses, dezenas de papéis entre ações e FIIs tiveram altas significativas, alguns superando os 200% de rendimento como pode ser visualizado na tabela ao final do artigo. Com a eleição do presidente Jair Bolsonaro, que trouxe consigo uma equipe econômica platina e comandada por Paulo Guedes, o mercado comprou a ideia de um governo liberal e pró-reformista. Porém, a alta verificada nestes últimos meses é apenas uma parte de um ciclo mais amplo que teve início no começo de 2016 como pode ser visto no gráfico abaixo:

maiores altas bolsa valores

Ou seja, estamos agora no pico de uma onda de alta que já dura quase 4 anos. Alguns analistas dizem que isto é apenas o início de um ciclo econômico de retomada que poderá durar mais alguns anos, desde que as reformas sendo implementadas realmente resolvam o problema fiscal brasileiro. Por outro lado, outros analistas afirmam que a economia dos EUA e da Europa está à beira de um colapso que poderia frear por aqui uma possível retomada da economia. Será?!

Fato é que as taxas de juros aqui no Brasil estão cada vez menores, o que leva o investidor a procurar opções de investimento mais arrojadas como ações e FIIs. Mas o afrouxamento monetário não tem feito o esperado até o momento pois a inflação está cada vez mais baixa, sinal de que o mercado não está reagindo. Segundo o relatório Visão Geral da Conjuntura do IPEA de junho de 2019, a economia brasileira desacelerou em relação às taxas de crescimento observadas em meados de 2017, quando a recuperação ganhava corpo.

Neste cenário, medidas pontuais, como a liberação de FGTS, podem estimular o consumo, mas o choque que pode tirar a economia do ciclo vicioso em que se encontra deve vir das expectativas, isto é, do aumento da confiança, começando pelo equacionamento do problema fiscal. Sendo assim, a redução da SELIC, em conjunto com a melhora nos índices de confiança, contribuiria para um ambiente econômico mais propício a investimentos e consumo.… Leia Mais

Trópico Value FIA

A estratégia do Trópico Value FIA é investir em empresas de capital aberto, listadas em bolsa de valores, que possuam estratégia robusta e alinhamento de longo prazo entre todos os acionistas. Tem como público-alvo investidores de forma geral que buscam retornos de longo prazo descorrelacionados dos índices de mercado, através de uma filosofia de investimento clara de Value Investing.

Nome do Fundo: TROPICO VALUE FUNDO DE INVESTIMENTO DE AÇÕES

Classe: Fundo de Ações
Início: 05/07/2005
Patrimônio: R$ 23,1 mi

tropico value fia

Evolução ano-a-ano com as sete principais posições acionárias do fundo. Dados colhidos no mês de maio de cada ano. Entre 2010 e 2015 não encontramos a carteira no site da CVM, consta aplicação no TROPICO VALUE MASTER FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES. Fonte: CVMLeia Mais

melhores acoes da bolsa

Ações que os Investidores Estão Comprando na Bolsa

O educador financeiro Thiago Nigro, mais conhecido como “O Primo Rico”, recentemente postou uma pergunta aos seus seguidores do Twitter: “Qual a última ação que você comprou na bolsa?” Enquetes como esta são interessantes para “sentir” o que os pequenos investidores estão fazendo no mercado financeiro. Claro que é uma amostra muito reduzida da população de pequenos investidores do país, mas achei oportuno fazer a contabilização das respostas para conhecer as ações preferidas do público neste momento da bolsa.

Não por acaso, o maior número de votos foi para a “ação do momento” da bolsa de valores: BIDI (Banco Inter). Este papel tem subido tando que já está sendo considerado a bolha BIDIcoin, será mesmo?! Em seguida vem a holding Itausa (ITSA) que continua muito querida pelos pequenos investidores mesmo com a proliferação dos bancos digitais que ameaçam o reinado de bancões como o Itaú. Em terceiro lugar vem a platinada Magalu (MGLU) que dispensa maiores comentários. Empatadas no quarto lugar aparecem as polêmicas OIBR e VVAR. Esta última já vem dando bons lucros para os investidores que resolveram assumir os riscos, mas a OI continua dando dor de cabeça para os investidores mais arrojados.

Ação Votos
BIDI 21
ITSA 17
MGLU 13
OIBR 8
VVAR 8
SUZB 7
JHSF 6
ABEV 4
KLBN 4
MDIA 4
NEOE 4
PMAM 4
WIZS 4
B3SA 3
BPAC 3
ENBR 3
GRND 3
SLCE 3
SQIA 3
TRIS 3
VALE 3
VLID 3
WEGE 3
FLRY 2
GGBR 2
ODPV 2
PETR 2
PRIO 2
AMAR 1
ANIM 1
BBAS 1
BBDC 1
BPAN 1
BRKM 1
CGAS 1
CMIG 1
CSAN 1
CSNA 1
CVCB 1
ETER 1
EZTC 1
FESA 1
GBIO 1
GOAU 1
HAPV 1
HBOR 1
INEP 1
JBSS 1
JPSA 1
JSLG 1
Krot 1
LCAM 1
LEVE 1
LOGG 1
LOGN 1
MFRG 1
MOVI 1
PSSA 1
RAIL 1
RDNI 1
RLOG 1
SEER 1
SGPS 1
TECN 1
TIET 1
TPIS 1
TRPL 1
VRTA 1
VULC 1
WLMM 1
XPML 1

Atenção: Este site não faz recomendações e este post não passa de uma contabilização desprovida de qualquer sentido quantitativo que possa lhe servir de indicativo para investimento. Lembre-se que o “efeito manada” é um dos mais perigosos quando se fala em bolsa de valores.

Leia Mais

Alaska Black Master Fundo de Investimento em Ações

Nome do Fundo: ALASKA BLACK MASTER FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES – BDR NÍVEL I

Classe: Fundo de Ações
Início: 17/09/2010
Patrimônio: R$ 3,6 bi

alaska black master fundo de investimento em acoes

Evolução ano-a-ano com as sete principais posições acionárias da carteira. Dados colhidos no mês de abril de cada ano. Fonte: CVM

Alaska Black FIC FIA BDR Nível I

É um fundo de ações destinado a investidores qualificados. Investe no mínimo 67% do seu patrimônio em ações, com limite de exposição de 100%  e tem a possibilidade de investir em BDRs. O fundo também pode atuar nos mercados de juros, moedas e índices. Administrado pelo BTG Pactual, o fundo tem como benchmark o IPCA + 6% a.a.. É recomendado para clientes com horizonte de investimento de longuíssimo prazo. O fundo compra cotas do Alaska Black Master FIA.

Investimento Inicial: R$ 5.000,00
Cota de Aplicação: D+1 (útil)
Cota de Resgate: D+30 (corridos)
Pagamento: D+2 (úteis) após cotização
Resgate Antecipado: 5% de multa sobre a cota de resgate
Cota de Resgate Antecipado: D+1 (útil)
Pagamento de Resgate Antecipado: D+4 (úteis) após a cotização
Imposto de Renda: Alíquota de 15% sobre o ganho líquido, descontada do valor do pagamento, já deduzidas as taxas de administração e performance
Perfil de Risco: Agressivo

Alaska Black FIC FIA II BDR Nível I

É um fundo de ações destinado ao público em geral. O fundo investe no mínimo 67% do seu patrimônio em ações (incluindo BDRs), com limite de exposição de 100% e tem a possibilidade de investir em BDRs. O fundo também pode atuar nos mercados de juros, moedas, índices. Administrado pelo BTG Pactual, o fundo tem como benchmark o Ibovespa. É recomendado para clientes com horizonte de investimento de longuíssimo prazo. O fundo compra cotas do Alaska Black Master FIA.

Investimento Inicial: R$ 1.000,00
Limite Máximo de Investimento: R$ 250.000,00
Cota de Aplicação: D+1 (útil)
Cota de Resgate: D+30 (corridos)
Pagamento: D+2 (úteis) após cotização
Resgate Antecipado: 5% de multa sobre a cota de resgate
Cota de Resgate Antecipado: D+1 (útil)
Pagamento de Resgate Antecipado: D+4 (úteis) após a cotização
Imposto de Renda: Alíquota de 15% sobre o ganho líquido, descontada do valor do pagamento, já deduzidas as taxas de administração e performance
Perfil de Risco: Agressivo

Fonte: Alaska Asset Management

Leia Mais

Alaska Poland Fundo de Investimento de Ações Bdr Nível 1

Nome do Fundo: ALASKA POLAND FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES – BDR NIVEL 1

Classe: Fundo de Ações
Início: 01/08/2003
Patrimônio: R$ 3,2 bi

alaska poland

Evolução ano-a-ano com as três principais posições acionárias da carteira. Dados colhidos no mês de dezembro de cada ano. Fonte: CVMLeia Mais

lista de fiis

CNPJ dos FIIs e Administradoras de Fundos de Investimento Imobiliário

Conhecer o CNPJ de uma empresa é uma condição importantíssima caso você queira fazer algum tipo de negociação com a mesma. O CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica) armazena dados importantíssimos sobre uma empresa tais como: data de abertura, atividade econômica, endereço, situação cadastral, quadro societário e capital social. Pensando nisto, listamos os CNPJs das administradoras de FIIs, bem como os CNPJs dos próprios fundos imobiliários.

Caso você seja um investidor de bolsa de valores, também é muito importante ter em mãos o CNPJ dos fundos de investimento imobiliário listados. Algo que poucos investidores faz é consultar o CNPJ das administradoras e dos FIIs nos quais investem. Geralmente olha-se os múltiplos fundamentalistas dos fundos mas quase ninguém realiza a consulta do CNPJ. É apenas durante o preenchimento da declaração anual de imposto de renda que o investidor tem contato com o CNPJ dos seus fundos e suas administradoras. Para auxiliar o investidor, tando no processo de consulta do CNPJ quando no processo de declaração do imposto de renda, montamos esta lista dos principais FIIs da bolsa brasileira

Lista de FIIs da Bolsa Brasileira com CNPJ

A tabela abaixo apresenta a lista de FIIs da bolsa de valores brasileira. A primeira coluna apresenta o código e o nome do fundo. A segunda coluna apresenta o CNPJ. A terceira coluna apresenta a administradora. Caso você tenha dúvidas em relação à declaração de FIIs no imposto de renda, sugiro a leitura deste tutorial de declaração.

FII CNPJ Administrador
ABCP11 – Grand Plaza Shopping 01.201.140/0001-90 Rio Bravo Investimentos
ALMI11 – Torre Almirante 07.122.725/0001-00 BTG Pactual
ALZR11 – Alianza Trust Renda Imobiliária 28.737.771/0001-85 BTG Pactual
ANCR11B – Ancar IC 07.789.135/0001-27 Genial Investimentos Corretora de Valores
ATSA11B – Atrium Shopping Santo André 12.809.972/0001-00 Credit Suisse Hedging-Griffo
BBFI11B – BB Progressivo 07.000.400/0001-46 Caixa Econômica Federal
BBPO11 – BB Progressivo II 14.410.722/0001-29 Votorantim Asset Management
BBRC11 – BB Renda Corporativa 12.681.340/0001-04 Votorantim Asset Management
BBVJ11 – BB Votorantim Cidade Jardim Continental Tower 10.347.985/0001-80 Votorantim Asset Management
BCFF11 – BTG Pactual Fundo de Fundos 11.026.627/0001-38 BTG Pactual
BCIA11 – Bradesco Carteira Imobiliária Ativa 20.216.935/0001-17 Banco Bradesco
BCRI11 – Banestes Recebíveis Imobiliários 22.219.335/0001-38 Banco Fator
BMII11 – Brasilio Machado 02.027.437/0001-44 Rio Bravo Investimentos
BMLC11B – BM Brascan Lajes Corporativas 14.376.247/0001-11 BTG Pactual
BNFS11 – Banrisul Novas Fronteiras 15.570.431/0001-60 Oliveira Trust
BPFF11 – Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos 17.324.357/0001-28 Genial Investimentos Corretora de Valores
BRCR11 – BTG Pactual Corporate Office 08.924.783/0001-01 BTG Pactual
BTCR11 – BTG Pactual Crédito Imobiliário 29.787.928/0001-40 BTG Pactual
BVAR11 – Brasil Varejo 21.126.204/0001-43 Rio Bravo Investimentos
CARE11 – Brazilian Graveyard and Death Care 13.584.584/0001-31 Planner Corretora de Valores
CBOP11 – Castello Branco Office Park 17.144.039/0001-85 Credit Suisse Hedging-Griffo
CEOC11 – Cyrela Commercial Properties 15.799.397/0001-09 BTG Pactual
CNES11 – CENESP 13.551.286/0001-45 BTG Pactual
CPTS11B – Capitania Securities 18.979.895/0001-13 BNY Mellon Serviços Financeiros
CTXT11 – Centro Têxtil Internacional 00.762.723/0001-28 Rio Bravo Investimentos
CXCE11B – Caixa Cedae 10.991.914/0001-15 Caixa Econômica Federal
CXRI11 – Caixa Rio Bravo 17.098.794/0001-70 Caixa Econômica Federal
CXTL11 – Caixa TRX Logística Renda 12.887.506/0001-43 Caixa Econômica Federal
DOMC11 – Reag Renda Imobiliária 17.374.696/0001-19 CM Capital Markets
DRIT11B – Multigestão Renda Comercial 10.456.810/0001-00 Rio Bravo Investimentos
EDFO11B – Edifício Ourinvest 06.175.262/0001-73 Oliveira Trust
EDGA11 – Edifício Galeria 15.333.306/0001-37 BTG Pactual
ELDO11B – Eldorado 13.022.994/0001-99 Rio Bravo Investimentos
EURO11 – EUROPAR 05.437.916/0001-27 Coinvalores CCVM
FAED11 – Anhanguera Educacional 11.179.118/0001-45 BTG Pactual
FAMB11B – Edifício Almirante Barroso 05.562.312/0001-02 BTG Pactual
FCAS11 – Edifício Castelo 10.993.386/0001-33 BTG Pactual
FCFL11 – Campus Faria Lima 11.602.654/0001-01 BTG Pactual
FEXC11 – BTG Pactual Fundo de CRI 09.552.812/0001-14 BTG Pactual
FFCI11 – Rio Bravo Renda Corporativa 03.683.056/0001-86 Rio Bravo Investimentos
FIGS11 – General Shopping Ativo e Renda 17.590.518/0001-25 Socopa Sociedade Corretora Paulista
FIIB11 – Industrial do Brasil 14.217.108/0001-45 Coinvalores CCVM
FIIP11B – RB Capital Renda I 08.696.175/0001-97 Oliveira Trust
FIVN11 – Vida Nova 17.854.016/0001-64 Oliveira Trust
FIXX11 – Fator IFIX 17.329.029/0001-14 Banco Fator
FLMA11 – Continental Square Faria Lima 04.141.645/0001-03 BR Capital DTVM
FLRP11 – Floripa Shopping 10.375.382/0001-91 BTG Pactual
FMOF11 – Memorial Office 01.633.741/0001-72 Coin DTVM
FOFT11 – CSHG TOP FOFII 2 16.875.388/0001-04 Credit Suisse Hedging-Griffo
FPAB11 – Projeto Agua Branca 03.251.720/0001-18 Coin DTVM
FPNG11 – Pedra Negra Renda Imobiliária 17.161.979/0001-82 BR Capital DTVM
FVBI11 – VBI FL 4440 13.022.993/0001-44 BTG Pactual
FVPQ11 – Via Parque Shopping 00.332.266/0001-31 Rio Bravo Investimentos
GGRC11 – GGR Covepi Renda 26.614.291/0001-00 CM Capital Markets
GRLV11 – CSHG GR Louveira 17.143.998/0001-86 Credit Suisse Hedging-Griffo
HCRI11 – Hospital da Criança 04.066.582/0001-60 BTG Pactual
HFOF11 – Hedge Top FOFII 3 18.307.582/0001-19 Genial Investimentos Corretora de Valores
HGBS11 – CSHG Brasil Shopping 08.431.747/0001-06 Credit Suisse Hedging-Griffo
HGCR11 – CSHG Recebíveis Imobiliários 11.160.521/0001-22 Credit Suisse Hedging-Griffo
HGPO11 – CSHG Prime Offices 11.260.134/0001-68 Credit Suisse Hedging-Griffo
HGLG11 – CSHG Logística 11.728.688/0001-47 Credit Suisse Hedging-Griffo
HGRE11 – CSHG Real Estate 09.072.017/0001-29 Credit Suisse Hedging-Griffo
HGRU11 – CSHG Renda Urbana 29.641.226/0001-53 Credit Suisse Hedging-Griffo
HTMX11 – Hotel Maxinvest 08.706.065/0001-69 BTG Pactual
IRDM11 – Iridium Recebíveis Imobiliários 28.830.325/0001-10 BTG Pactual
JPPC11 – JPP Capital 17.216.625/0001-98 Banco Finaxis
JRDM11 – Shopping Jardim Sul 14.879.856/0001-93 BTG Pactual
JSRE11 – JS Real Estate Multigestão 13.371.132/0001-71 Banco J.
Leia Mais
quais acoes comprar

Quais Ações Comprar?

A greve dos caminhoneiros parou o Brasil. Estamos indo para o 9o. dia de greve e os rumos da mesma ainda são incertos. O governo já fez sua proposta e a mesma foi bem aceita pela principal liderança do movimento. Porém, notícias chegam de todos os pontos do Brasil dizendo que ainda há paralisação em diversas estradas do país. O fato mais marcante para o investidor é que a bolsa de valores está precificando os prejuízos que as empresas terão. Só neste mês de maio o índice IBOV já caiu 13%. A pergunta que surge agora é: está na hora de comprar ações? Se sim, quais ações comprar?

A decisão de compra de uma ação é algo que leva em consideração diversas variáveis, tanto do ponto de vista macroeconômico quanto do ponto de vista micro. Do ponto de vista macro, estamos vendo um país fragilizado pela crise do frete gerada pela greve dos caminhoneiros. Há que se considerar também que estamos em um ano eleitoral e o futuro do país estará nas mãos dos eleitores que nem sempre sabem escolher seus representantes. Do ponto de vista micro, é necessário analisar os fundamentos das empresas e as perspectivas setoriais no médio e longo prazo. Alguns critérios básicos são bons indicativos de que uma empresa é candidata para investimento:

1 – Boa geração de caixa: A geração de caixa de uma empresa pode ter várias origens, a começar pela mais natural e esperada, que se dá através da sua atividade principal, vendendo produtos e gerando receitas. Além disso, é possível gerar caixa via operações não recorrentes, como venda de ativos, aumento de capital via subscrição de novas ações, recebimento de dividendos de empresas nas quais possui participações, dentre outras possibilidades. Empresas boas para investir devem possuir uma forte geração de receita recorrente através da venda dos seus produtos e serviços, em outras palavras, devem possuir altos lucros.

2 – Baixo endividamento: Via de regra, as empresas se endividam para poderem executar projetos de expansão. Porém, o pagamento dos juros da dívida e não deve comprometer os lucros e a empresa deve ter capacidade para honrar suas dívidas de longo prazo com os lucros futuros. A alavancagem da empresa deve ser saudável e compatível com seu patrimônio e geração de caixa.

3 – Margens de lucros elevadas: Em contabilidade de empresas, o termo “margem” exprime a relação entre o lucro e a receita obtidos pela empresa em um dado período. O indicador mais comum é a margem líquida que representa o lucro líquido que a empresa obtém para cada real em receita líquida. Essa margem ilustra a quantidade de dinheiro que a empresa lucra a cada real de receita obtido depois de pagar todas as suas despesas e impostos. Numa análise simplória, quanto maior a margem de lucro da empresa mais seguro e rentável é o negócio.

4 – Boa previsibilidade de fluxos de caixa: Aqui estamos falando de uma “quase certeza” de que os produtos e serviços da empresa continuarão serem vendidos no mercado sem sobressaltos.… Leia Mais